AUGUSTO ROCHA É PROVA VIVA DE QUE FOCO, FÉ E FORÇA (PALAVRAS QUE O DEFINEM) SÃO A COMBINAÇÃO PERFEITA PARA CHEGAR AO LUGAR EM QUE SE ALMEJA. BAIANO RADICADO EM SÃO PAULO, ELE DÁ SHOW NA VIDA E INSPIRA MILHARES DE PESSOAS COM SUA ROTINA DE SAÚDE, MALHAÇÃO E BELEZA

Augusto Rocha
Divulgação
Augusto Rocha

Fé! Se existe uma palavra para definir Augusto Rocha , com certeza, essa é a que mais se encaixa e a que mais ele usa. E claro, não bastasse toda sua determinação, Augusto tem beleza e leveza e isto faz com que milhares de seguidores se inspirem diariamente na maneira suave e saudável com que o rapaz leva a vida. Moço de família e vindo de Salvador, mais especificamente de Mussurunga, como faz questão de frisar, é filho de dona Rosa e seu Roque, irmão de Ébano e Neto, família tem papel essencial em sua trajetória. O modelo fitness é multifuncional, dos palcos de axé, para a faculdade de publicidade e para as passarelas da moda. Vencedor do primeiro concurso Beleza Black em 2002, Augusto estudou, se aprimorou e desembarcou em São Paulo para nos privilegiar com sua simpatia, seu lifestyle e sorriso único. E ele deu a cara à tapa, cada desafio o motivou mais ainda e hoje ele é queridinho dos fotógrafos e de muita gente que o segue nas redes sociais para se inspirar no seu dia a dia, que inclui o Mahamudra, uma filosofia pra lá de especial que envolve corpo, mente e espírito. A fala é mansa, mas o baiano é arretado e tem muito para compartilhar! Se você já o segue no Instagram, sabe do que estamos falando. Caso contrário, confira nosso bate-papo, apaixone-se e dê um Follow!

Revista Profashional: Como foi essa vinda para São Paulo? Muitos desafios no mercado de moda?

Augusto Rocha: Tudo para mim foi desafio, sempre tive de provar mais para estar ali. Quando eu vim pra cá, foi muito engraçado, eu entrei em três agências e as três me rejeitaram. O dono da primeira agência em que fui aprovado olhou pra mim e falou que eu estava dentro, no outro dia, fui levar meu material e ele disse que não se lembrava de mim. Mas hoje isso é só história do passado. Quando você começa a fazer o primeiro, segundo gol, as pessoas começam a acreditar em você.

R.P.: Você sentiu que não acreditavam em você?

A.R.: Quando eu vim pra São Paulo, eu tinha acabado de fazer meu curso de modelo, e todo mundo dava risada da minha cara. Mas nunca tive problema, eu era imparcial, nunca liguei para o que os outros falavam. Afinal, vale para todo mundo: vão falar do mesmo jeito, então eu vou fazer!

R.P.: Como cuida da saúde do seu corpo?

A.R.: Pratico muito esporte, eu sou do grupo Mahamudra, que me deu muito equilíbrio corporal. Eu já venho do pedal, e o Mahamudra veio para me dar essa estabilidade de mente, corpo e espírito. Tudo isso aliado a uma alimentação saudável e meu jeito leve de encarar a vida, afinal, prezo por estar bem de corpo e alma.

R.P.: E o que é o Mahamudra?

A.R.: O Mahamudra é uma filosofia de vida, desenvolvimento humano, baseado em três pilares: corpo, mente e espírito. O corpo tem toda essa coisa da prática da atividade física, tudo que for exercício com o corpo. A mente é a parte do yoga, e há pessoas de todos os tipos fazendo yoga, proporcionando equilíbrio e serenidade. E a parte espiritual é a que você enxerga sem ver e sente sem tocar, como ajudar instituições, pessoas, ouvir mais do que agir por impulso. Muitas vezes, o morador de rua não quer comida ou dinheiro, ele só quer que você o ouça.

R.P.: Qual é a sua formação?

A.R.: Publicitário formado em Marketing Esportivo. Meu pai queria que eu fizesse faculdade e como sempre gostei de moda e publicidade, eu fiz a faculdade de Comunicação Social. Quando surgiu o Mahamudra, eu pensei por que não unir tudo?

R.P.: E o fator “influenciador” nas redes sociais? Por que acha que tantas pessoas te adicionam diariamente no Instagram?

A.R.: As pessoas me seguem porque algumas gostam dos meus trabalhos de moda, outras gostam da prática esportiva e outras gostam de frases que me norteiam e dos acontecimentos da minha vida, tanto bons quanto ruins, o ruim vira aprendizado. Além do meu profissionalismo, sempre procuro passar qualidade de vida e positivismo para as pessoas acreditarem, independente do grau de dificuldade. Já me perguntaram se eu passava por isso mesmo, se era um texto copiado, mas eu passo e tudo que acontece comigo eu compartilho lá, porque eu sei que isto vai ajudar outra pessoa.

R.P.: E sobre ser negro e modelo? Você sente que ainda existe alguma barreira?

 A.R.: Claro que sim. Seria hipocrisia eu negar. Por mais que eu esteja trabalhando, às vezes eu olho pro lado e sou o único negro. Hoje, o mercado melhorou muito, mas sei que ainda há muito que evoluir. Quando eu vim pra cá, era muito mais difícil, já peguei trabalho em que o produtor falava: “Já tem um negro, já está bom”. Ou seja, era o negro para constar. Tudo está longe de refletir a posição real do negro na vida. E isso só se consegue inserindo. Não há como praticar a inclusão sem incluir e dar oportunidades reais.

R.P.: Agora conta para gente, para você, o que é ser Profashional?

A.R.: Ser Profashional é ter fé, se você não tem fé, você não é nada. Meu pai falava muito quando eu era pequeno: ter fé é tudo!

POR DENTRO DO MAHAMUDRA

A filosofia Mahamudra foi criada por César Curti . Hoje, o método conta com cerca de mil alunos ao redor do Brasil, além dos que fazem aulas esporádicas em Los Angeles, Sidney e Reino Unido. Criado em 2013, com uma primeira turma formada em São Paulo, no Parque do Ibirapuera, o Mahamudra é um movimento inclusivo, com técnicas que permitem o autoconhecimento e a evolução pessoal, onde estas atuam “curando” o praticante de diversos males que vêm perturbando nossa atualidade, como: ansiedade, depressão, obesidade, medo e egoísmo. César decidiu estudar aquilo com o que mais se  identificava desde criança, “Maharamudra é um estado de hiperconsciência, o último nível que o ser humano poderia atingir; aqui no Ocidente, conhecemos como nirvana, como Samadhi no yoga, ou como iluminação. O Mahamudra significa isso, esse alto degrau de sabedoria e de consciência”, explica. Ele, criador do método que Augusto Rocha é membro efetivo e tem como filosofia de vida, falou conosco sobre esse praticante que estampa uma das capas da nossa edição: “O Augusto é uma figura muito do bem e já é antigo do Mahamudra, acompanhou desde o começo as aulas e está conosco há muito tempo. Hoje em dia, além de atleta, participando de algumas provas, ele cuida dos eventos esportivos e aulões que fazemos e somos contratados para realizar”, fala. E se o nosso assunto principal desta matéria são os influenciadores digitais, vale segui-lo também: @cesarcurti.mbt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.