Tamanho do texto

ESTÃO ABERTAS AS COMEMORAÇÕES DE FIM DE ANO E OS BRINDES PARA ESTREAR EM 2018 COM O PÉ DIREITO. MAS NO MEIO DE TANTAS BORBULHAS, COMO SABER O QUE É FRISANTE, CHAMPANHE, ESPUMANTE E PROSECCO?

Estão abertas as comemorações de fim de ano e os brindes para estrear em 2018.
Divulgação
Estão abertas as comemorações de fim de ano e os brindes para estrear em 2018.

No mundo dos vinhos, é comum ouvir a frase “Adoro, mas não entendo nada sobre o assunto” . E assim a vida segue, com as pessoas enchendo os copos, apreciando o conteúdo e, muitas vezes, sem saber o que estão consumindo. Isso também acontece com o espumante, que a maioria não conhece a diferença com os similares frisante, prosecco e champanhe. Mas isso é um equívoco. Espumante é uma categoria. As bebidas com borbulhas são chamadas de “perlage” , que vem do francês perle (pérola) e se refere às bolhas dos vinhos. Prosecco é espumante, champanhe e frisante também. O que diferencia esses elixires é o método de produção. “O processo tradicional, e o mais famoso deles, é o que é feito o champanhe, que, além da fermentação normal do vinho, tem uma segunda fermentação feita em garrafa. Para existir aquelas bolinhas precisa haver essa segunda etapa, que tem a adição de mais açúcar e levedura. Quando começa a fermentar, ele produz dióxido de carbono que, desta vez, é retido no vinho, formando as bolhas”, explica o especialista Paulo Brammer.

Paulo alerta ainda que existe outro método, no qual a segunda fermentação não é feita em garrafa, mas sim em um tanque. As notas de brioches, croissant e manteigas não aparecem muito nesses vinhos. Por isso, notamse mais as expressões de fruta. E há também os vinhos espumantes mais simples, que são feitos com o método de transferência e o de carbonação, em que só é adicionado o gás carbônico. O tema nos remete às festas e ao verão, mas para Paulo Brammer é um erro consumi-los somente nas estações mais quentes. “O espumante não deve ser consumido só no verão. Ele é um dos vinhos mais versáteis e vai bem em qualquer clima e ocasião. São um dos poucos vinhos que conseguem sustentar um menu de cinco pratos, harmonizando perfeitamente desde o aperitivo até a sobremesa, dependendo do que é servido” , diz.

Para os dias frios, os espumantes mais encorpados são ideais. A temperatura para servir os espumantes mais leves é entre seis e dez graus. Já os safrados, mais fortes, entre oito e dez graus. Além das celebrações, o espumante pode fazer parte de outras ocasiões. “Você pode usá-lo no café da manhã ou no coquetel adicionando um pouco de suco de laranja, ou no almoço com pratos como saladas e frangos. No jantar ele combina com tudo”, ressalta Paulo Brammer.

COMO HARMONIZAR?

Não dá para generalizar na hora de falar de harmonização. São diferentes espumantes que trabalham de forma distinta. Um exemplar de método tradicional vai bem com carne branca grelhada e salmão defumado, por exemplo. Já os que contêm açúcar residual, chamados de demi-sec, fazem dobradinha com sobremesas leves e doces frutados, sem muita concentração de açúcar. Queijos curados são ideais para combinar com champanhes. Presunto cru vai muito bem com cava. Lagostas com champanhe rosé. E se você pegar um prosecco ou espumante feito em tanque, pense em algo mais leve, como salada, frutas (pêssego e damasco) e aperitivos em geral.

SMOOTHIE DE IOGURTE E FRUTAS

INGREDIENTES

200ml de iogurte natural

200g de fruta congelada (banana e manga)

2 castanhas do Brasil 1 folha de hortelã Mel (opcional)

MODO DE PREPARO

Bata o iogurte com as frutas no liquidificador. Quanto mais congelada estiverem as frutas, mais cremosa a bebida ficará

RENDIMENTO: dois copos 

GRAU DE DIFICULDADE: fácil

CHEF IRACEMA BERTOCO, CENTRO EUROPEU

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.