Tamanho do texto

ADRIANE GALISTEU É DAQUELAS PESSOAS QUE NÃO SUPORTAM FICAR NA ZONA DE CONFORTO E ENCARAR NOVOS DESAFIOS É O SEU COMBUSTÍVEL DIÁRIO PARA QUE A VIDA FAÇA CADA VEZ MAIS SENTIDO. MEDO DE DAR ERRADO? NUNCA!

“A pior cilada é você ficar na zona de conforto. O mundo está passando rápido e vivemos em outro tempo. Não podemos vacilar! ” Adriane Galisteu
Divulgação
“A pior cilada é você ficar na zona de conforto. O mundo está passando rápido e vivemos em outro tempo. Não podemos vacilar! ” Adriane Galisteu

Sua carreira teve início aos nove anos e algumas dificuldades fizeram parte da vida de Adriane Galisteu, que encara cada obstáculo como essencial para o seu crescimento. O Brasil a conheceu na década de 1990, e de lá para cá, ela mostrou que não tem medo de se jogar de cabeça em novos projetos e arriscar, sempre querendo aprender para que o resultado final seja o melhor possível.

Adriane tem em seu currículo passarela, teatro, televisão, rádio, experiência digital e, agora, desafia-se semanalmente entre ritmos e passos. Participante da Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão (TV Globo), ela vem surpreendendo em suas apresentações e, consequentemente, tem recebido uma chuva de notas “dez”. Tudo isso é o retorno de um trabalho árduo, já que ela passa a semana no Rio de Janeiro ensaiando. “Tenho me dedicado muito. Não consigo pegar algo e não focar. Estava em cartaz como protagonista de uma peça e pedi licença, pois não conseguiria fazer as coisas paralelamente” , conta. Recentemente, Adriane postou em sua conta do Instagram uma frase que, segundo ela, a representa: Não é fácil, mas a gente coloca um sorriso no rosto e segue em frente”. E é assim que ela vive seus dias, encarando as dores e as delícias da vida, que divide com a mãe, o marido Alexandre Iódice, o filho Vittorio e os amigos. Para saber mais sobre essa mulher incrível, batemos um papo com ela.

Você parece se reinventar constantemente e está sempre buscando desafios. Como todas as fases te levaram ao que você é hoje? A minha vida melhora a cada dia. Hoje sou mais madura para administrar tudo da melhor maneira. Tenho também o maior desafio da minha vida, que é a dança, e faço isso por mim e não para provar alguma coisa para os outros. Mas, ao mesmo tempo que há muita dificuldade, existe um prazer nisso.

E como você consegue essa capacidade de se testar constantemente? Isso me move. Hoje, estou numa fase que sinto cansaço e dor, mas não posso fazer nada mais ou menos. Gosto de desafios e vou sempre dar o melhor de mim. Por exemplo, na dança não posso ensaiar ou me apresentar de forma mediana. Tenho que ensaiar muito, mas o meu professor é generoso e me cobra de forma severa, para que possamos atingir as melhores notas, principalmente da plateia, que é a mais criteriosa. E quero todos no #teamgalisteu! Então, sei que a pior cilada é você ficar na zona de conforto. O mundo está passando rápido e vivemos em outro tempo. Não podemos vacilar! O tempo é o nosso maior luxo e não quero ter aquela sensação de que deixei de fazer alguma coisa porque “perdi tempo”.

Toda dificuldade é mais fácil de passar se temos o apoio de quem amamos. Neste momento, a sua família é fundamental? Muito! Eles são o meu maior alicerce. Hoje passo a semana no Rio de Janeiro, longe deles, mas só consigo fazer isso porque sei que eles estão me apoiando e torcendo por mim. Vittorio está comigo nos momentos das apresentações e é o mais exigente (risos). Ele é uma figura! E o Alexandre é o meu maior parceiro. A gente cresce junto a cada dia. Apesar da distância, ele me apoia e não me cobra. Você está muito presente no universo digital.

Como coordena essa fatia do seu tempo? Ainda pensa em fazer tevê aberta? Amo este universo. Tenho o meu blog ( www.adrianegalisteu.com.br ) e lá desenvolvo um conteúdo dentro do que me agrada, como alimentação, beleza, informações da minha vida, etc. Também tenho um canal no YouTube #galisteusemfiltro, e lá sou cem por cento eu. Conteúdo verdadeiro! Penso em pautas que vão agradar e pesquiso o que naquela semana dá para linkar e ter uma boa audiência. Recebo um toró de palpites dos que me seguem, e faço questão de analisar todas as sugestões. Estou tão focada na dança e nestes canais que tevê aberta não é algo que eu pense no momento.

Nessa era tão cheia de haters, como você lida com aqueles que não tem filtro nos comentários? Nossa, recebo muitos comentários horríveis, mas isso não me abala. Tem um monte de gente que não tem educação e aproveita o mundo virtual para colocar o que pensa de forma maldosa. Isso não mexe comigo. Mas, se falar do meu filho, teremos problema! Na maioria das vezes, consigo ignorar. Só um dia ou outro, dependendo da lua (risos), eu respondo alguma coisa.

Falando sobre moda, como você define o seu estilo e o que nunca pode faltar na sua mala e no seu guarda-roupa? Na moda vale tudo, principalmente nos dias de hoje! Não temos mais aquela ditadura de usar uma determinada coisa ou ser de um jeito específico. O que está na moda é olhar no espelho e se gostar. Amo moda, revistas e desfiles, e gosto de saber o que vem por aí para adaptar ao meu estilo. Meu marido trabalha nesse universo e, apesar de ser o lado mais empresário da coisa, quando me pede opinião, estou sempre pronta para ajudar.

E para cuidar da mente e manter o equilíbrio, qual é a sua dica? Sou uma ariana ansiosa e o único jeito que encontro para cuidar da cabeça é fazendo esporte. Sou zero zen, então tive que aprender a lidar com isso e encontrei no esporte uma boa alternativa. Com a corrida, por exemplo.

Para finalizar, o que projeta para o futuro? Consigo me imaginar bem velha, exercendo o meu trabalho. Só peço saúde para poder ter sempre a opção de estar ativa. Mas só, pois gosto de pensar no hoje e aproveitar a fase que estou vivendo, sem fazer muitos planos para o futuro!

BATE-BOLA

A gente pergunta e ela responde

Para relaxar?

Correr, ouvir música boa ou dar um bom mergulho no mar.

Para dançar?

Um bom parceiro.

Para comer sem culpa?

Uma deliciosa massa com molho de tomate bem apimentado ou um espaguete ao vôngole.

Cheiro que acalma?

O cangote do Vittorio. Se pudesse, faria de novo? Outro neném!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.