Tamanho do texto

ARLINDO GRUND, STYLIST E APRESENTADOR DO “ESQUADRÃO DA MODA”, CONTA SOBRE CARREIRA E TENDÊNCIAS DO MOMENTO

Arlindo Grund
Divulgação
Arlindo Grund

Arlindo Grund é um rosto conhecido na televisão brasileira há, pelo menos, oito anos, desde que começou a apresentar o programa “Esquadrão da Moda” . Quando o assunto é estilo, seu nome é um dos mais procurados atualmente. E não é por menos, Arlindo possui uma bagagem incrível.

Desde 1991, já trabalhava, em Recife, com edição e produção de moda. Ao chegar em São Paulo, em 2003, “tudo foi muito rápido e as oportunidades apareceram sem planejar”. Ele já assinou capas e editoriais de diversas publicações nacionais, fez o styling de desfiles, catálogos e campanhas publicitárias.

O gosto pelo universo da moda começou cedo, o stylist arrisca-se a dizer que um dos primeiros contatos foi na casa de sua avó. “Lembro-me muito de todos os dias pela manhã ir para a casa de minha avó Regina Grund para vê-la se aprontar, se maquiar. Também me lembro de uma cena de aos três anos eu chorando muito porque meu pai tinha trazido roupas dentro de uma sacola. Ao invés de ficar feliz, fiquei triste por não ter podido ir até a loja escolher o que queria. Muito louco isso!” , revela.

Confira abaixo a entrevista exclusiva que Arlindo concedeu à Style Magazine.

Style Magazine – A partir de que momento da sua vida você disse “é com moda que eu quero trabalhar”?

Arlindo Grund – Sempre. Todo tempo me via fazendo algo relacionado à moda; a roupa e as possibilidades que uma peça poderia oferecer. Isso até hoje me encanta. O fato é que, em Recife, onde eu morava, o mercado editorial era pequeno, quase não existia. Em paralelo à minha carreira acadêmica, eu fiz muita produção de moda para comerciais e filmes publicitários. Depois, em determinado momento, montei meu próprio escritório de design e publicidade. Então, realmente respondendo a pergunta: desde que nasci.

S.M. – Quando saiu de Recife para São Paulo, como foi sua adaptação por aqui?

A.G. – Não tive tempo de pensar em adaptação. Tudo foi muito rápido e as oportunidades apareceram sem eu planejar. O trabalho preenchia e preenche meu tempo sem brechas.

S.M. – E no seu guarda-roupa, teve de mudá-lo por conta do clima diferente?

A.G. – Não. Aqui também faz calor, e muito! Só as roupas de frio que começaram a ser usadas com mais frequência do que em Recife.

S.M. – Como você enxerga o cenário fashion nacional?

A.G. – Fico feliz em perceber que o mercado de moda no Brasil caminha para uma independência e que está sempre em evolução. O mais incrível nos criadores brasileiros é que eles sabem exatamente do que a mulher brasileira gosta, que é ser sexy. O mercado está em constante mudança, assim como as pessoas. E isso só faz a moda ficar mais ligada naquilo que realmente o consumidor deseja.

S.M. – Quais são suas apostas de moda para o verão 2018?

A.G. – A grande aposta do momento é o rosa. Podemos falar também do xadrez que volta forte e das listras que se consolidam cada vez mais.

S.M. – Ainda falando em moda, qual é a peça-chave do guarda-roupa das mulheres?

A.G. – Gosto muito do blazer mais desestruturado e molenga, normalmente confeccionado em linho.

S.M. – E dos homens?

A.G. – Para os homens, sugiro uma camisa bem cortada e feita sob medida.

S.M. – Sobre você, de todos os seus projetos pessoais, existe algum que você teve mais satisfação em fazer?

A.G. – Todos são muito empolgantes! Desde os programas de TV a palestras, livros, YouTube.

S.M. – E para os projetos futuros, há algo em vista?

A.G. – Sim. Em breve, vocês saberão de mais um programa para TV e de meu segundo livro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.