Tamanho do texto

Conferir de perto um evento como o Portugal Fashion, é experimentar arte em conceito na sua forma física. Good vibes é a sensação que define o efeito das criações artísticas

Um quadro, uma escultura ou um filme podem provocar essa sensação, o prazer estético em seus detalhes. E a moda e suas vibrações trazem conceitos e definições que provocam e geram uma energia transformadora no modo de vestir e no entendimento da criação, desde sua funcionalidade até sua forma artística.

Vibe, esse é o tema do Portugal Fashion que, em sua 32ª edição, reuniu as tendências para o outono-inverno 2013/14, em quatro dias de desfiles. Com início em Lisboa, como nas últimas edições, a capital hospedou cinco jovens criadores no " Espaço Bloom " ( dedicado a designers emergentes ): Susana Bettencourt, Hugo Costa, Andreia Lexim, Estelita Mendonça e Daniela Barros , que mostrou suas propostas na galeria de arte Carpe Diem Arte e Pesquisa , um belo prédio antigo. Na parte da tarde, foram realizados desfiles de estabelecidos designers: Alves/Gonçalves ( apresentado na Galeria Marca com criações muito elegantes e femininas ) e Fátima Lopes ( que mostrou no claustro do Convento do Beato desenhos futuristas para homens e mulheres, predominando o preto ).

Agora em Porto

Depois do primeiro dia, sob o Edifício da Alfândega do Porto, com um total de 26 desfiles de artistas emergentes ( Espaço Bloom ), designers já estabelecidos e marcas de moda e calçados desfilaram suas criações. Nesse edifício histórico, Cláudia Garrido , Carla Pontes , Stefano Ficetola, Joana Ferreira, Teresa Abrunhosa, Carlos Couto, Mafalda Fonseca, Diana Matias, Costa e João Melo Klar mostraram todo o talento dos estilistas portugueses.

Os quartos maravilhosos de Porto Alfândega foram transformados em espaço para a apresentação das coleções dos estilistas mais famosos do cenário português, Katty Xiomara ( desenhos muito femininos em azulejos, preto, cinza e laranja ); Julio Torcato ( modernas propostas de moda masculina ); Anabela Baldaque ( moda juvenil e desenhos coloridos para as mulheres ); MEAM por Ricardo Preto (c asuais conjuntos femininos em diversas estampas e pinturas ); Diogo Miranda ( modelagens femininas elegantíssimas ); o astro Luis Buchinho ( excelentes propostas de inverno com projetos maravilhosos ); Miguel Viera (q ue comemorou 25 anos na moda com uma coleção muito atraente para homens e mulheres, predominando branco, preto, tecidos metálicos e estampas de gatos ); e Teresa Martins ( com propostas Balkan, mais conceitual, na passarela, foi a que trouxe uma gama maior de diferenças ). No último dia do Portugal Fashion, as coleções oferecidas pela passarela do Comercial Helder Baptista ( volumes maravilhosos em destaque ); Cheyenne ( moda casual para homens e mulheres ); o MDS ( proposta jovem e comercial para homens e mulheres ); e Dom Colleto ( coleção moderna e elegante para homens e mulheres ). 

O desfile de calçados mostrou a proposta de marcas, como Cohibas, Dkode, Fly London, Goldmud + Alexandra Moura, J. Reinaldo e Silvia Rebatto Nobrand . Desfiles recentes foram dados por Carlos Gil ( com foco em mistura de cores e estampas gatos camelo com detalhes em ouro); Vicri (casual e contemporâneo para homens ); Leão de Porches ( colorista estilo "college" homens britânicos, mulheres e crianças ). O designer " estrela " entre os criadores portugueses, Felipe Oliveira Batista ( diretor criativo da marca "Lacoste" ), encantou o público com algumas criações maravilhosas para as mulheres, apresentando modelagens volumosas e simples, dominadas pelo preto e tons metálicos. A coleção masculina Dielmar ( cujo designer é Antonio Simões ) define o mundo masculino com muito colorido e cortes clássicos. O fechamento desfile foi feito pelo sapato e designer Luis Onofre , que optou por botas e ankle boots de salto alto ou sapatos de salto alto e bolsas de avião para definir, predominantemente preto, marrom e tons de pedra.

E com nossas impressões registradas e de volta para o Brasil, destacamos os desfiles que mais chamaram nossa atenção. Katty Xiomara foi um dos destaques e apresentou um desfile que teve como proposta o retorno às raízes dos azulejos. O tradicional colorido azul desse objeto de decoração serviu de tela para uma expressão simbólica do Street Art. São formas geométricas que se unem e trazem toda uma simetria para o universo da moda. Katty surge com uma moda autêntica. Propõe retorno às raízes; azulejos e construções arquitetônicas numa linguagem street bem elaborada. A cartela de cor dançante entre o rosa, laranja e o azul-real é incrível.

Ricardo Preto, totalmente com a cara da Profashional, trouxe como tema o futuro e o vibrante mundo atual. A coleção traz o reflexo da alma de uma época em que a mulher evoca feminilidade e independência absoluta. Silhueta esguia, volumes a contrapor com peças colantes e com a procura de uma nova forma de estar. Cores, como o encarnado, o verde e o azul que contrastam com preto, amarelo e branco, foram exploradas pelo estilista.

Uma diva alcançável é minha tradução do desfile de Diogo Miranda, que se inspirou em dois temas distintos: o lado sofisticado, sóbrio e elegante do universo feminino e ladylike, em contraste com a influência do masculino, transmitido pelas formas oversized, pelo conforto e pela atitude mais descontraída e cool. As cores predominantes foram: preto, branco-champanhe, azul-navy, azul-céu, bourdeaux e verde-petróleo.

O desfile de Carlos Gil, remetendo ao lado mais glamouroso da sociedade no fim dos anos 70, foi muito bem representado. A coleção inspirada na mulher citadina, segura de sua imagem, com caráter forte, trouxe looks que misturam a ousadia dos anos 60, com o estilo “Glam Renovado” dos anos 70. Uma mulher selvagem que se afirma como moderna, inconformista, reivindicando a sua posição numa sociedade machista. Como consumidora louca por onças, dourados, detalhes em vinil (desde que chiques), amei.

Momentos inesquecíveis

Estar na primeira fila para acompanhar um dos mais conhecidos estilistas de Portugal, Luis Buchinho, foi primordial para perceber cada detalhe de sua apresentação. O desfile foi composto por peças de uso muito versátil, inspiradas nos anos 70, que misturam cores de uma maneira diferente na sua simplicidade de formas.

O passeio por Portugal também merece destaque, não poderia deixar de me encantar com lugares com grande sobressalto estético. Registro aqui meu agradecimento pela acolhida no Hotel Intercontinental Porto-Palacio das Cardosas, o cenário de um palácio do século 18. Encanta, oferece um atendimento impecável, digno de realeza. Caves de vinho também foi um passeio querido, afinal, a Vila Nova Gaia não só oferece magníficas vistas do Porto, como também é o lugar onde se fabrica o vinho que leva o nome da cidade vizinha.

Nas diversas caves que margeiam o cais, podemos entrar e conhecer segredos da fabricação e envelhecimento da bebida. Tive a oportunidade de apreciar a diversidade dessas delicatéssens, além da recepção calorosa com belíssimo almoço, composto por um delicioso robalo. Ficará sempre na memória.

Entre conceitos e olhares, trouxemos um pouco mais de inspiração para nossos dias. Adorei conferir de perto as novas propostas da moda para o outono-inverno 2013/14. Termino dizendo: minha mente, cheia de informação, conhecimento e receitas pré-concebidas, nem sempre aceita, mas meu closet, que é bem mais trendsetter, aceita quase tudo!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.