Pesquisadores, cientistas, autores, professores, coaches,  dividirão o palco em 3 dias de evento na Universidade de Miami. 

O line-up inclui de professores dos populares cursos de Harvard e Yale ao ex-CEO da Google que decidiu resolver a fórmula da felicidade, co-editores do World Happiness Report, economistas, filósofos, Yogis, artistas e profissionais dos mais diversos segmentos unindo suas expertises para um auditório lotado de pessoas em busca do tema que remete a qualquer um de nós.

Trata-se do WOHASU 2020 comandado pela CEO Karen Guggenheim, e sob a coordenação do professor PHD Dr. Sandro Formica. O World Happiness Summit acontece de 13 a 15 de março na Universidade de Miami. Do Brasil foi convidada a fazer parte da majestosa lista de palestrante a Publisher, social entrepreneur, Chief Happiness Officer e autora, Sandra Teschner. A baiana, que vive em São Paulo, foi especialmente convidada para um painel que reflete o tripé de seu trabalho na área: impacto social, uso de mídias sociais para o bem social, transformando teorias em passos práticos e passíveis de serem adotados por qualquer pessoa, independente de seu status na vida. O livro que Sandra lançará ainda em 2020 é uma seleção de ingredientes indispensáveis e totalmente acessíveis para sermos naturalmente felizes.

 Do Brasil foi convidada a fazer parte da majestosa lista de palestrante a Publisher, social entrepreneur, Chief Happiness Officer e autora, Sandra Teschner. arrow-options
Divulgação
Sandra Teschner

Sandra sempre se considerou (e foi considerada) uma pessoa feliz, quando há 5 anos a mesma viveu uma “Experiência Quase Morte”, e voltou da mesma cheia de dúvidas, angústias, estresse e decidiu estudar a felicidade. “Eu praticamente me afoguei no meu próprio sangue, sobrevivi a isso, tive um EQM com direito a luz do fim do túnel, uma experiencia extasiante! E ao retornar dela não foi gratidão que eu senti, foi pressão, estresse, tensão de pendências a resolver. Durante minha “estada” entre a vida e a morte, conheci uma paz indescritível através das pessoas e da ambientação que eu vi, e percebi que só eu não me sentia lá verdadeiramente satisfeita, em ‘flow’. E se eu, que simbolizo desde sempre a própria alegria de viver, não me sentia assim, longe disso, então eu tinha um job a fazer e fiz”.

Escritora, mergulhou intensamente na vasta literatura sobre o tema, viajou, estudou o world happiness report, fez pesquisas na Escandinávia, que frequentemente encabeçam a lista de países mais felizes, mais precisamente na Noruega. Descobriu o “hygge” dinamarquês. Graduada em alemão e turismo na Alemanha, e tendo vivido mais de uma década neste país, buscou em ambientes corporativos trabalhos significativos sobre o tema. No Brasil criou o evento Plantando Happiness, um grande projeto referencial para seu livro em construção. Durante 13 dias, 73 mil pessoas tiveram contato com o tema “happiness” tangibilizado através de espaços interativos e experiências em que o participante se conectasse com as propostas da “receita da felicidade”, sugerida pela autora e ao mesmo tempo que houvesse seu feedback. O sucesso da participação gratuita e aberta ao público trouxe relatos interessantíssimo em números expressivos.

Mas é na transformação social que sua plataforma de felicidade tem sua resposta mais expressiva. Ativista social passional, a Chief Happiness Officer lidera ações as quais se envolve com absoluta devoção, sendo as mais significativas seu trabalho com crianças multiplamente amputadas, e vítimas de doenças graves raras. Além de criar oportunidades que levam soluções práticas às suas protegidas, como próteses, (e crianças precisam frequentemente trocá-las), fisioterapias, custos diversos, amadrinha-as para a vida sendo um significativo sustentáculo para a construção de autoestima e autoconfiança. Para isso, promove campanhas, desfiles, destaca-as na comunicação de suas próprias mídias, já que é Publisher, como também expande em parcerias com os mais diversos veículos.

“Quando descobri que a ciência comprova que somente 10% das interferências externas são responsáveis pela nossa felicidade, enquanto 50% é genética e 40% dependem exclusivamente de nós , de nossa ações e atitudes, naquele momento eu soube que mudaria não só a minha vida; Seria uma geradora de agentes multiplicadores para que a conta dos felizes seja algarismos exponenciais!”

Sobre o convite para palestrar junto aos maiores especialistas mundiais, como o mestre da psicologia positiva, Martin Seligman, Mo Gawdat (Google), Dr. Tal Ben-Shahar (Harvard), Lord Richard Layard (World Happiness Report), entre outros,  Sandra dispara: “Minha maior satisfação é saber que escolhi viver num Ecossistema feliz, e não num “egossistema’; sinto-me honrada, leve e já realizada. Felizes sabem que expectativa e comparação são fontes de infelicidade. Sou grata pela oportunidade, porque gratidão não é uma hashtag vazia que se joga para o universo numa tentativa desesperada de alcançar algo com um pseudo-positivismo. Gratidão é estar consciente de tudo o que temos, conquistamos, de estar livre para enxergar com todos os sentidos os privilégios de estarmos vivos. Sem mas. Sem frases adversativas”, finaliza.

    Veja Também

      Mostrar mais