Tamanho do texto

Quase como um “spin-off” da já existente #LeiturasObrigatórias, a ideia da #FilmesObrigatórios é falar sobre outra paixão minha: os filmes!

A cada texto vou escrever sobre os filmes que mais amo e que tem a ver com o maravilhoso universo fashion, trazendo informações sobre os figurinos icônicos das personagens mais incríveis de todos os tempos e também algumas curiosidades!

O Diabo Veste Prada
Divulgação
O Diabo Veste Prada

A escolha para o primeiro filme da coluna ficou por conta de um dos filmes do mundo da moda mais conhecidos!  “O Diabo Veste Prada” (2006) é sem dúvidas aquele filme que sempre que está passando na TV, eu paro para assistir. Ele exemplifica perfeitamente a ideia de que a moda é uma das ferramentas mais diretas para expressarmos quem somos e como nos sentimos. E de uma forma simples, o figurino das personagens consegue fazer com que quem esteja assistindo entenda o que cada uma delas está passando e como, conjuntamente à suas personalidades, o estilo se modifica e se constrói.

O filme é uma adaptação do bestseller literário de 2003 de Lauren Weisberger. Dirigido por David Frankel, ele conta a história de Andy (Anne Hathaway), uma moça recém-formada que vai trabalhar na conceituada revista de moda Runway. Sua função é ser assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), a poderosa editora-chefe da revista. Apesar do “dream job” disputado por muitos, Andrea logo percebe que trabalhar com Miranda não é tão simples assim, e passa a penar ao ter que lidar com os jeitos e trejeitos nada fáceis da chefe. Inclusive, há rumores de  que Miranda foi inspirada pela Anna Wintour, editora-chefe da Vogue Magazine, e com quem Lauren trabalhou por anos. Mas a autora nunca os confirmou.

O Diabo Veste Prada
Divulgação
O Diabo Veste Prada

Já a responsável pelo figurino é Patricia Field, que também foi figurinista da série de TV “Sex and the City”. Patricia recebeu um orçamento de US$ 100 mil para o filme, mas conseguiu que muitas grifes cedessem peças para as filmagens. O valor real dos figurinos usados no filme, ultrapassa US$ 1 milhão.

A marca dominante no figurino de Miranda foi claro, a Prada. Dentre 10 sapatos da personagem, 4 eram da grife! Já Andy, vestiu marcas como Dolce & Gabbana, Calvin Klein e Chanel. Essa última, foi protagonista em metade do guarda-roupa dela. A figurinista Patricia, ainda contou que a Chanel pediu para vestir Andrea e disse que daria todas as peças que ela quisesse para a personagem!

Como disse no começo, a moda que usamos é reflexo de quem somos. É muito legal ver a construção do estilo de Andrea com o passar das fases do filme, e também a de outras personagens como Miranda e Emily (assistente de Miranda). Andrea não sabia quem era, e por isso seu estilo parecia não ser o “apropriado” e “ideal” para ela. Ela inclusive recusava a moda, não entendendo seu papel na construção da identidade. No final do filme, ela entende quem ela é e o que ela quer, e é por isso que o estilo funciona tão bem!

O Diabo Veste Prada
Divulgação
O Diabo Veste Prada

E a título de curiosidade, uma continuação do livro já está disponível! Lauren lançou em junho deste ano o livro 'When Life Gives You Lululemons' (Quando a vida te dá Lululemons, em português). Nessa continuação a história é focada em outra personagem, a não tão aprofundada no primeiro livro, mas não menos importante: a outra assistente de Miranda Priestly, Emily Charlton, (interpretada por Emily Blunt no filme). O livro narra as aventuras de Emily trabalhando como consultora de estilo de celebridades, após sua saída da revista Runway! Vamos torcer para que ele vire logo filme! 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.