Tamanho do texto

“Era uma noite quente, próxima do verão, e ela usava um vestido preto, sandálias pretas e um colar de pérolas... Nunca ficava sem óculos de sol, sempre bem-arrumada, o bom gosto era consequência da simplicidade de sua roupa. ”

Classic Holly style.
Divulgação
Classic Holly style.

Foi assim, que Truman Capote imaginou Holly Golightly no livro que deu origem ao filme “Bonequinha de Luxo”.

Dirigido por Blake Edwards o filme conta a história de Holly Golightly, uma jovem sonhadora, excêntrica e extrovertida. Fascinada pelo luxo e sem condições de manter seu estilo de vida, ela sonha em se casar com um homem rico. Mas na busca pelo marido, ela acaba se apaixonando por Paul Varjak, um jovem escritor que é sustentado por sua amante, uma mulher mais velha. Assim, apesar do interesse em Paul, Holly reluta em se entregar a um amor que contraria seus objetivos de tornar-se rica.

Você sabia que Truman Capote queria Marylin Monroe (que recusou o papel) como Holly e que inclusive não ficou muito feliz de Audrey Hepburn assumir o papel?

Verdade seja dita, ao contrário de Truman, o resto do mundo amou Audrey nesse papel e se encantou com o figurino usado por ela no filme. E é por isso que a #FilmesObrigatórios de hoje, fica por conta de um clássico dos cinemas (e da moda, claro!): “Bonequinha de Luxo” (“Breakfast at Tiffany's” 1961)!

Hubert de Givenchy foi o responsável pelo icônico figurino de Audrey, e para quem não sabe essa foi uma das muitas vezes que eles trabalharam juntos. “Sabrina” (1954), “Funny Face” (1957), “Love in the Afternoon” (1957), “Charade” (1963), “Paris When It Sizzles” (1964), “How To Steal A Million” (1966) e “Love Among Thieves” (1987), foram outros dos filmes em que Hubert criou looks para Audrey. 

Looks de Holly.
Divulgação
Looks de Holly.

Um dos designs de Givenchy é o clássico vestido de cetim preto sem mangas usado com longas luvas de cetim pretas, óculos escuros Oliver Goldsmith, um colar de pérolas da Tiffany (claro!) e um enfeite de cabelo de diamantes. Holly usa o vestido na cena de abertura quando sai de um yellow cab na deserta Quinta Avenida, do lado de fora da Tiffany.

Três cópias desse vestido foram feitas: uma está na Maison Givenchy, uma no Museum of Costum, em Madri, e uma delas foi dada de presente à Audrey. Uma das cópias foi vendida na famosa Christie's em 2006 por US $ 923.187, tornando-se uma das peças de filmes mais caras a ser vendida.

Os icônicos vestidos que Audrey usou no filme foram feitos por Givenchy, mas outra importante figurinista, também teve parte nos looks da personagem: Edith Head. Dentre os looks: a camisa/vestido branca usada com a máscara de olhos; e o jeans, o suéter cinza e a toalha em volta da cabeça que ela usa enquanto canta “Moon River” na escada de incêndio.

E se o pretinho básico (little back dress, LBD) é tão popular e uma das peças mais icônicas do guarda-roupa feminino, é graças (em parte) a Audrey! Claro que Coco Chanel tem participação no sucesso da peça, mas Hepburn ajudou a consagrá-lo e a concretizá-la como uma daquelas práticas, clássicas e estilosas que se pode usar quando e onde quiser!

Algo muito interessante de se analisar é o fato de poucas atrizes conseguiram que seus papéis se inspirassem tanto ao seu estilo pessoal como no caso de Audrey Hepburn. E isso não teria sido possível sem a mente criativa de Givenchy, que a entendeu desde o início e conseguiu traduzir seus gostos, estilo e ideias nos figurinos de suas personagens com tanta maestria!

Para finalizar, vale compartilhar algumas curiosidades sobre o filme: para gravar a inesquecível cena de Audrey com o vestido preto, colar de pérolas e óculos escuros na frente da Tiffany, a produção bloqueou, nas madrugadas e nas manhãs, por duas semanas, a Quinta Avenida, onde fica a joalheria!

Looks de Holly.
Divulgação
Looks de Holly.

Na época do filme, Hepburn foi a segunda atriz mais bem paga de Hollywood, só perdendo para Elizabeth Taylor!

E você sabia que o gatinho (o “poor slob without a name”), que contracena com ela foi também uma celebridade do mundo animal? Sim, na vida real ele chama “Orangey, the Cat” e foi um verdadeiro sucesso! Para saber mais sobre ele  clique aqui.

O filme é mais um ótimo exemplo do poder das roupas, do figurino na construção da identidade de uma personagem. Foi o vestido preto que ajudou a imortalizar tanto Audrey como “Bonequinha de Luxo”. Ah! E claro, a Tiffany! Rs! Até porque quem nunca sonhou em tomar café da manhã na frente da loja, em Nova Iorque, né?!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.