Tamanho do texto

NÃO É PRECISO VER PARA TRANSFORMAR PAIXÃO EM PASSOS NA PONTA DOS PÉS. O TRABALHO DE FERNANDA BIANCHINI REALIZA SONHOS

Cia de Ballet de Cegos
Divulgação
Cia de Ballet de Cegos

Uma bailarina deve sempre olhar para as estrelas, ainda que não as enxergue”, é a definição simples e que faz do trabalho da bailarina Fernanda Bianchini um dos mais aplaudidos nos palcos. Fundadora da Cia Ballet de Cegos há 21 anos, ela conta que por meio dos alunos com deficiência visual, ela aprende a cada dia a fechar os olhos da visão e abrir os olhos do coração, e a partir daí ver um mundo mais bonito e com mais significado. “Atualmente, nossa estrutura nos possibilita atender até o limite de 200 alunos, dos três anos à terceira idade, e as vagas encontram-se assim destinadas: 60% a deficientes visuais, 30% a deficientes de outros tipos (motor, mental e síndromes), 10% a alunos sem deficiências para exercitarmos a inclusão às avessas” , explica Fernanda. O projeto tem ainda um toque ilimitado de formas de ensinar, onde o aprendizado é feito por meio do toque e da repetição de movimentos, caracterizado pela ‘sensibilidade artística’, é um método pioneiro que se construiu a partir do conhecimento e dedicação da bailarina que, desde então, guiou centenas de deficientes a inúmeras conquistas nessas duas décadas de missão.

Os braços são ensinados por meio das folhas de uma palmeira e os saltos com as bailarinas deitadas no chão. Em 21 anos de missão e enorme dedicação, reconhecidamente como um maravilhoso trabalho social, a AFB (Associação Fernanda Bianchini) já atendeu cerca de 500 pessoas com alguma deficiência. O intuito é proporcionar motivação, condições de aprendizado, amizade, busca de um sonho e, sobretudo, uma via concreta para a inclusão social. O reconhecimento dessa missão na sociedade também veio com mais de 100 troféus de premiações e dezenas de homenagens recebidas ao longo da caminhada. O objetivo? Mostrar para o mundo que tudo é possível quando se tem força de vontade e se acredita num sonho. “Hoje, nosso maior objetivo é transformar vidas e fazer todos superarem seus próprios limites” , comenta. Por isso, em breve, a instituição passará a ministrar aulas de ballet clássico para cadeirantes.

“UMA BAILARINA DEVE SEMPRE OLHAR PARA AS ESTRELAS, AINDA QUE NÃO AS ENXERGUE”, É A DEFINIÇÃO SIMPLES E QUE FAZ DO TRABALHO DA BAILARINA FERNANDA BIANCHINI UM DOS MAIS APLAUDIDOS NOS PALCOS.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.